Cirurgias

Colocação de tubo de ventilação

Indicações

Pacientes com otite média com efusão ou otite média serosa; disfunção de tuba auditiva ou otite média aguda de repetição, que não melhoram com tratamento clínico.

Objetivo

Aspirar o catarro preso atrás do tímpano e permitir a ventilação adequada da orelha média.

Técnica cirúrgica

Todo o procedimento é realizado com auxílio do microscópio, e o paciente não apresenta cicatrizes no pós-operatório. Com o auxílio do microscópio a membrana do tímpano é visualizada através da orelha externa. A presença de catarro preso atrás da mesma, na orelha média, faz com que seu aspecto seja opacificado ou amarelado. Uma pequena perfuração é realizada na membrana do tímpano de modo que permita a saída do catarro retido. Com aspirador, o restante do catarro é removido. A seguir, um pequeno tubo de ventilação (do tamanho de uma ponta de caneta e com aspecto de carretel de linha) é encaixado na membrana do tímpano no local da perfuração, mantendo uma passagem de ar entre a orelha externa e a orelha média, permitindo o restabelecimento normal da mucosa de revestimento da orelha média, determinando o fim do processo inflamatório, e a melhora das otites e da disfunção de tuba auditiva.

Pós-operatório

Dor: geralmente o paciente não sente dor.

Sangramento: pode ocorrer um sangramento leve pelo ouvido, no decorrer do dia da cirurgia, que desaparece no dia seguinte.

Alta hospitalar: o paciente recebe alta no mesmo dia, após uma alimentação adequada.

Queda do tubo de ventilação: existem 3 tipos de tubos de ventilação que são indicados conforme a doença do paciente. O mais freqüentemente utilizado é o tubo de ventilação tipo “Sheppard”, que é de curta duração, sendo eliminado naturalmente da membrana do tímpano em aproximadamente 4 a 6 meses. Tubos de média duração são eliminados em aproximadamente 8 meses, e os de longa duração ficam permanentemente posicionados na membrana do tímpano.